sábado, 23 de abril de 2011

Pode ser?

Continuo! Sim, continuo. Por que continuo? Essa resposta eu nao tenho. Mesmo que me diga que nao o faça mais. Que nao devo. Sei que é errado. Sei que é errado. Mas ainda acredito "Nisso", quero acreditar "Nisso". Nao pessa isso.Sabes que nao vou conseguir,devo continuar. Sei que nao tinha antes, pode parecer que seguia bem sem saber !! Mas acredite quando eu digo que nao estava bem. Faltava algo em mim. Sempre faltou. E, acredite: ainda falta. E saiba: faz muita falta!!

Não?

É!! Acordo e saio num dia normal. Nada mudou. Mas acredite, esse é o problema, esse é o real problema. Nao gostaria que isto tudo continuasse desta determinate e eterna maneira. Todos nós, sim, todos nós, seguimos cada dia mais vivendo por inercia. Talves por esse e apenas por esse motivo ainda estejamos todos"Bem". Mas estariamos nós realmente "Bem"? Agora em mais um devaneio me pergunto: O que seria normal nos padroes reais!! e o mais importante: quais seriam esses padroes? Acompanham esta estranha forma de raciocinio? É logico?

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mas como?

Acordo mais uma vez no meio da noite!! Estou um pouco desorientado. Nao entendo bem o que acontece em minha volta. Sinto como se meu coraçao estivesse congelando em meio a esta escuridao. E no mesmo instante ele começa a acelerar como se nunca mais fosse voltar a bater! Olho novamente a minha volta e continuo sem entender nada. estou aflito? Ofegante? pera ai, Isso nao é uma especie de euforia? Uma estranha euforia? Mas porque estou me sentindo assim? Percebo imediatamente que dificilmente dormirei de novo esta noite. Encosto a cabeça no travesseiro e tento limpar a mente para que eu possa entao conseguir dormir. Mas como eu suspeitava, realmente demoro a pegar no sono. E quando entao consigo. Acordo novamente no mesmo estado e me sentindo de uma maneira estranhamente pior que a anterior.

Hum?

Passando por uma rua a noite, olhando em todos os lados em minha volta. Tendo noção que ao acaso encontro-me ali neste exato instante. Ja que em dias comuns nao é estranho que eu saia de casa e percorrendo por uma rua aleatoria, no unico intuito de observar as pessoas. Pessoas essas que tendo ou nao motivos para ali estarem. Olhando de maneira critica a todos e a cada um em especial. Parecendo me cada vez mais comum andar sem destino so pra que naquele instante consiga, ou ao menos eu tente, entender um pouco do que me cerca. O mais interessante é que nada, nada mesmo, é capaz de responder minhas imensas duvidas a respeito de Tudo isso.